Total de visualizações de página

quarta-feira, 6 de junho de 2012

DNA Espiritual? Ah, será que Watson e Crick morreram salvos?

Na década de 1980, o humorista Jô Soares interpretava uma personagem que era um coronel da ditadura militar que estava acordando de um coma de 6 anos. Ao se ver diante de transformações impensadas na época da ditadura, o recém-acordado gritava pedindo para tirar o tubo e morrer de vez. Depois de um tempo de diálogo com o médico e a enfermeira, ele reconhecia que pouca coisa tinha mudado e pedia para ser mantido com o tubo.

A sensação que eu tenho, com a igreja brasileira é mais ou menos a mesma coisa. São tantas as novidades e invencionices por parte dos líderes evangélicos brasileiros, que se algum pastor sério, tivesse acordado de um coma de 10 anos, ele teria a mesma reação da personagem do Jô Soares.

O grande problema desses líderes - atualmente identificados como apóstolos, patriarcas, paipóstolos - são bizarrices e desvaneios criados pela fertilíssima imaginação deles. Não vou perder o seu tempo mostrando os inúmeros exemplos que aparecem no Youtube, nos blogs, nos sites e nos programas de televisão desses líderes. Mas uma dessas aberrações teológicas tem a ver com a Biologia e não posso deixar de comentar.

Ainda que o referido "apóstolo" Fernando Guillen possa tentar me desqualificar no campo teológico... vá lá!!! Nem brigaria muito com ele. Ele alegaria que eu não tenho diploma de teólogo, talvez ele tenha. Ele talvez apelasse para um curso de formação em teologia que tenha feito; eu não tenho um curso desses no meu currículo. Mas tenho duas outras coisas que, pelo que percebo ele não tem: sou biólogo formado pelo Mackenzie - e disso me orgulho muito - e tenho bom senso teológico. Esse "apóstolo" não tem essas características.

Ele promove um evento chamado A Influência da Iniquidade no DNA. Posso até imaginar o que ele queira dizer com isso. Já participei com um pastor amigo meu de uma conversa dessas, mas eram apenas conjecturas e ficaram restritas aos "nossos momentos de reflexão" íntima. Mas como biólogo e cristão, devo me posicionar como interessado em participar de um evento desses. Será que existe alguma sequência de DNA que marca o pecado na nossa vida, A propósito, a nossa natureza de pecado é uma questão de DNA? Ou é eminentemente espiritual?

Nesse referido curso, ele mistura temas que são das Ciências Biológicas com a Teologia. Olha os temas: Aspectos Genéticos da Iniquidade: DNA, RNA, Células; O Cordão Umbilical Espiritual; O Papel da Medula Óssea na Iniquidade; A Regeneração. Esses dois últimos temas me chamaram mais a atenção. Eu realmente preciso fazer esse curso para entender qual é o papel da formação das células sanguíneas na noss iniquidade. Será que a medula óssea influencia a iniquidade do meu coração? Isso é importante, porque se for verdade, o currículo de Hematologia da faculdade precisa ser revisto. Além disso, será que ele está falando da regeneração tecidual de células mortas! Se for, eu gostaria de aprender mais sobre esse tema. Inclusive, uma máxima da Ciência, que os neurônios não se regeneravam; hoje sabemos que existem certos neurônios capazes de regeneração. Agora se ele for falar sobre a regeneração espiritual do nosso coração, prefiro o diálogo de Jesus com Nicodemos.

Um dos maiores expontes da genética mundial, Francis Collins, coordenador geral do Projeto Genoma é evangélico e em seu livro, A Linguagem de Deus, não faz nenhuma alusão ao pecado ser determinado geneticamente. As nossas células sanguíneas são fabricadas dentro dos nossos ossos e, sinceramente, o que é que isso tem de iniquidade para que o referido "apóstolo" faça uma curso explorando o tema. Eu não tenho inteligência suficiente para alcançar esses ensinamentos. Se eles fossem bíblicos eu até me esforçaria para alcançá-los.

Nenhum comentário: