Total de visualizações de página

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Odeio desafios e abalos!!!

Não quero ser abalado. Se você já recebeu alguma notícia que te abalou, talvez as lembranças não sejam tão boas. No dicionário Houaiss, podemos aprender o significado de ser abalado. Veja que interessante:

Acepções
■ adjetivo
que se abalou
1 que tem pouca firmeza ou está mal seguro
Ex.:

2 Derivação: por extensão de sentido.
que se tornou enfraquecido; alquebrado
Ex.: saúde a.

3 Derivação: sentido figurado.
que se tornou hesitante; frouxo, inseguro
Ex.: mostrou-se a., não acompanhara os avanços científicos de sua área

4 Derivação: sentido figurado.
que se impressionou ou perturbou com choque ou abalo
Ex.: a. com o desamparo daquela gente, soltou a verba para a saúde

Em todas essas definições, inclusive nas de sentido figurado, não há como querer passar por uma situação dessas. Tornar-me enfraquecido, hesitante, inseguro, frouxo; ficar perturbado ou em estado de choque, definitivamente essas sensações não estão nos meus planos.

Contudo, e infelizmente, essas sensações não saem da cabeça de muitos pastores, bispos, apóstolos e até de líderes de louvor. Essas pessoas querem que Deus abale as pessoas, que as cidades sejam abaladas, que as estruturas sejam abaladas. Imaginem esses homens pregando assim lá no Japão ou no Chile, onde ocorrem terremotos todos os anos.

A liderança evangélica brasileira está totalmente fora da realidade, com um discurso inflamado, arrogante e teologicamente capenga. Falta Bíblia nos púlpitos de hoje. Falta usar o raciocínio, essa faculdade que nos diferencia dos chimpanzés, gorilas, orangotangos e bonobos. Simplesmente não há reflexão sobre a própria prática dos pastores. Eles estão criando uma geração abalada psicologicamente, teologicamente e nos relacionamentos. Esse abalo que os pastores propõem não tem nenhuma base bíblica, absolutamente nenhuma!

Não há nenhuma oração registrada nas Escrituras que peça esse comportamento da parte de Deus. Se Deus realmente estiver determinado a abalar as estruturas será algo perigoso para a espécie humana. Ele fez isso no Dilúvio, na Torre de Babel, em Sodoma e Gomorra, em Nínive, apenas para citar alguns exemplos.

E não me venha dizer que a definição número 4 do dicionário pode ser aplicada ao sentido que eles querem dar a essa palavra, pois em nenhum momento eles querem que as pessoas fiquem impressionadas. Na ânsia de fazer o culto “pegar fogo”, os pastores usam essas palavras de ordem para demonstrar que estão cheios de poder, ou cheios do poder de Deus. A bem da verdade, acho que falta mesmo é vocabulário para eles. Trata-se de falta de conhecimento do vernáculo.

Também não quero ser desafiado. Os líderes hodiernos (veja no dicionário) gostam de desafiar os ouvintes. E eles os desafiam a dar uma contribuição maior, os desafiam a “profetizar” para outras pessoas e sobre si mesmos, os desafiam na hora do louvor, os desafiam para tomar uma certa postura na vida... É tanto desafio que parece mais um filme de bang-bang ou da Idade Média, quando os homens se desafiavam.

Imagine se Deus Se colocasse em posição de desafiar alguém. Você consegue perceber o risco que nós correríamos se Ele nos desafiasse para alguma coisa. A única vez que parece estarmos autorizados a “desafiar” a Deus é quando não O roubamos naquilo que devemos oferecer a Ele (Malaquias 3). Mas quem é que se encontra nessa posição de ter a capacidade de fazer prova de Deus? Eu não quero ser desafiado pelo Todo-poderoso. Eu quero é ser abençoado por Ele.

Ao invés dos pregadores fazerem aquilo para o qual foram chamados, que é pregar o evangelho, eles ficam nessa toada de desafios e abalos. Falta muita cultura entre os pregadores atuais. Quando um desafio era proposto era pra se medir a força entre os desafiantes. E quem é o homem para ficar desafiando a Deus? “Para que medir forças com o Sol da justiça?”. Esse discurso é muito mais para mostrar um pretenso poder que os pregadores dizem ter – ou pelo menos querem demonstrar que têm. Isso é ridículo!

sábado, 2 de maio de 2009

Quando se está só - Parte 2

O Sergio Pimenta foi um homem brilhante. Infelizmente não o conheci pessoalmente, mas conheço sua poesia, sua música e sua personalidade através das pessoas que o conheceram e que foram impactadas por ele. A letra dessa música ele escreveu num dos momentos mais difíceis da curta vida que ele teve. Aprouve a Deus chamá-lo quando ainda ele era muito ativo na Sua igreja. Mas o legado que o Sergio Pimenta deixou, fica nos corações do que o conheceram e nos coração daqueles que admiram a sua obra.

Quando se está só, o silêncio é mais profundo,
As noites são mais longas, o frio mais intenso;
E até a própria sombra parece estar mais junta,
Como se soubesse quando se está só.

Quando se está só, um grito é desespero,
Sussurro é loucura, o estalo mete medo;
E a mão forte aparece e está sempre nos sonhos,
Eternos pesadelos quando se está só.

Quando se está só, se está porque deseja,
Pois Ele com certeza não foge de ninguém;
Deus está sempre perto, amigo, abraço aberto,
Convida a ir com ele pra não mais estar só.
Pra não mais estar só.

Quando se está só - Parte 1

Estou me tornando uma pessoa muito sensível. Em alguns círculos eu seria chamado de “afetado”, mas se você ler esse texto até o final, acho que não vai concordar com isso. Há algum tempo, pouca coisa mexia com meu humor. Uma das coisas que não dava muita impostância era ser esquecido pelas pessoas. Por exemplo, nunca me importei quando não me ligavam para perguntar como estava. Na verdade alguém sempre ligava.

Hoje isso não acontece mais. Quando escrevo um texto novo sempre mando um email para muita gente convidando-as para ler e, se quiserem, comentar. Pelo que recebo de resposta das pessoas, poucos se comunicam comigo. Para você ter uma idéia, quando muitos se comunicam comigo, esse número não passa de 10 pessoas. Meu Orkut tem mais de 500 pessoas - na maioria meus alunos. Contudo, dos que têm acesso ao meu blog e a esses emails que eu mando, somam-se quase 100 pessoas.

Estou escrevendo isso porque estou sentindo muita falta de me relacionar com as pessoas. Pessoas que conheço há muito tempo, pessoas que conheço há pouco tempo. Pessoas que antes tinham intimidade comigo e perderam com o tempo. Pesssoas que estou conhecendo e gostaria de aumentar a intimidade. Pessoas da antiga igreja local e os da atual igreja local. Pessoas da primeira família e da mais nova família que tenho. Pessoas com quem trabalhei e as com quem trabalho atualmente.

Simplesmente uma necessidade básica de conversar (por telefone, email ou pessoalmente), de ver, de sentir, abraçar e tocar. Ouvir o que as pessoas pensam, falar para elas o que eu penso. Quero concordar com elas, discordar delas, chegar a consensos, ter minhas opiniões mudadas por argumentos mais inteligentes que os meus, levar as pessoas a refletirem sobre o que falo. Querer relacionar-se com os amigos é ser afetado? Alguns dias são tristes por causa dessa distância.

Devo confessar que na maioria das vezes o causador desse distanciamento sou eu mesmo. Eu não sou fácil! E a Cyntia sabe disso muito bem!!! Mas, graças a Deus, estou mudando. Antes eu mesmo não queria relacionamentos. Hoje eu os quero. Passei alguns anos indo a uma igreja sem ser conhecido por ninguém. Por um lado era bom, pois não corria risco de criar vínculos desagradáveis. Por outro lado, guardo poucas recordações daquele lugar.

Se você chegou até aqui e sente-se da mesma maneira que eu me sinto, não se sinto só mais. Vamos caminhar juntos. Meu email é marcos.david.m@uol.com.br. É só clicar e escrever.

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Feriado 1

Hoje é feriado... dia de descanso (para alguns) e dia de curtir boa música, um parque, uma volta de bike.... espero que goste desse.



Até mais, Marcos.