Total de visualizações de página

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Os Atributos de Deus - Parte 1

Como pregou Spurgeon: “Nada é melhor para o desenvolvimento da mente do que a contemplação da Divindade”. Para ele, o assunto era tão vasto que não existiria nada mais poderoso para fazer desaparecer nosso orgulho. Sou obrigado a concordar com o “príncipe dos pregadores”. A igreja evangélica de hoje carece – e muito – de conhecer a Deus. É triste e lamentável ter que admitir isso.

Vivo numa igreja evangélica desde o meu nascimento. Tenho 38 anos de idade e 23, de conversão. Frequento uma igreja atualmente e, mesmo assim, sou obrigado a reconhecer que não conheço a Deus de modo suficiente e satisfatório para mim. E pelo que vejo no evangelicalismo brasileiro, a maioria dos pastores e dos membros das igrejas têm a mesma carência.

Não sabemos quem é Deus, como Ele age, o que Ele pensa. Desconhecemos Seus gostos, não fazemos o que Lhe agrada. Nos relacionamos com Deus do mesmo jeito que nos relacionamos com outras pessoas. Falamos para Ele coisas que Ele não gosta de ouvir, fazemos coisas que Ele não gosta de ver. Deixamos de fazer o que Ele gostaria que fizéssemos. Vivemos nossa vida cristã de acordo com nossos modelos e padrões porque não conhecemos o modelo e o padrão preconizado por Ele.

Dizemos que O amamos, mas não sabemos expressar esse amor do modo que Ele determinou. Dizemos que O conhecemos, mas não somos capazes de apresentá-lo a quem não O conhece. Dizemos que somos Seus filhos, mas não O tratamos como um verdadeiro pai deve ser tratado.

Se realmente soubéssemos quem é Deus, os púlpitos das nossas igrejas não teriam pregações humanistas e psicológicas. Não haveria espaço para entretenimento nas pregações dominicais. Se o conhecimento de Deus fosse o centro da vida da igreja, não haveria intromissão – e admissão – de falsas doutrinas. Nossos pastores não estariam interessados no bem-estar de seus ouvintes. 

Se Deus ocupasse a nossa mente por mais tempo, haveria menos pecado na nossa vida. Se o caráter de Deus fosse o nosso real alvo na vida, seríamos muitos mais parecidos com Seu Filho Jesus Cristo do que somos hoje em dia. Se realmente conhecêssemos a Deus, amaríamos o que Ele realmente ama e odiaríamos o que Ele odeia.

Um livro fantástico que me ajudou muito a conhecer a Deus no início da minha conversão foi Atributos de Deus (Arthur W. Pink – Editora PES). Segundo o revisor da 2ª edição em português, o saudoso irmão Antonio Poccinelli, nenhum outro autor teve a “envergadura visual” de Pink sobre a pessoa de Deus. Era um dos livros que o irmão Poccinelli mais apreciava e sempre recomendava para as pessoas. E Bill Barkley, diretor da Editora PES, sempre diz que esse livro “contém 17 esboços para sermões”. 

Se Deus quiser, a partir de hoje vou postar meus resumos e minhas reflexões sobre os capítulos desse livro do Pink. Os capítulos são esses:

1.    A solidão de Deus
2.    Os decretos de Deus
3.    A onisciência de Deus
4.    A presciência de Deus
5.    A supremacia de Deus
6.    A soberania de Deus
7.    A imutabilidade de Deus
8.    A santidade de Deus
9.    O poder de Deus
10. A fidelidade de Deus
11. A bondade de Deus
12. A paciência de Deus
13. A graça de Deus
14. A misericórdia de Deus
15. O amor de Deus
16. A ira de Deus
17. Contemplando a Deus

Que Deus nos abençoe para Sua própria glória.
Marcos D. Muhlpointner

8 comentários:

Eclesia disse...

Marcão, curti a introdução e quero acompanhar o restante do estudo. Muito bom!

Valeu!!

Evandro L! Melo

Rev. Ageu Magalhães disse...

Caro Marcos, este livro é excelente. Leitura obrigatória para os meus alunos de Teologia 1, aqui no Seminário JMC. Boa leitura. Abraço!

Lucas Lopes disse...

Oi Marcos, tudo bem?

Que legal! Estamos no capitulo A Soberania de Deus. Muito bom! Se voce nao se importar, acompanharei contigo tuas reflexoes e estudos. Blz?

Abs querido,

Neide Teixeira disse...

Marcos...só hoje antes do trabalho consegui ler esta sua publicação do blog...e só posso agradecer afinal sonhamos coisas semelhantes com relação a ELE...concordo especialmente com as seguintes palavras: "Se realmente soubéssemos quem é Deus, os púlpitos das nossas igrejas não teriam pregações humanistas e psicológicas."...amo você e quero ser assim quando crescer...
Beijos amado irmão.

Música, Ciência e Teologia disse...

Evandro, acompanhe mesmo. Esse livro é um clássico da teologia reformada e tem coisas muito legais. Se você puder comprar e lê-lo, tenho certeza que vai gostar.

Até mais, Marcos.

Música, Ciência e Teologia disse...

Rev. Ageu, bom saber que o irmão "passa por aqui". Suas ponderações são muito importantes para mim.

Abração, Marcos.

Música, Ciência e Teologia disse...

Lucas, meu bom amigo! Fico muito feliz de ter suas visitas aos meus textos. Pode acompanhar os capítulos. Certamente vamos discutir coisas importantes aqui.

Abração, até mais, Marcos.

Música, Ciência e Teologia disse...

Neidinha, você é realmente muito carinhosa. Espero que goste das reflexões. Talvez não concordemos em tudo. Mas tenho aprendido que andar ao lado dos seguidores de Jesus é conversar sobre o que o Mestre realmente nos ensinou.

Beijo pra você, Marcos.