Total de visualizações de página

terça-feira, 16 de março de 2010

Os cristãos e o dízimo

“Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas!” Mateus 23:23

“...jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho.” Lucas 18:12


Já há algumas semanas venho pensando sobre a questão do dízimo na vida dos cristãos. Devo confessar que esse assunto nunca me interessou muito. Finanças nunca foram o meu forte. Mas nesses últimos dias cheguei à conclusão que realmente damos o dízimo de tudo o que temos. Veja só:


· Damos o dízimo do tempo que temos para o convívio com nossas esposas. Na outra parte do tempo trabalhamos, vemos TV, saímos com amigos, etc.


· Damos o dízimo do tempo que temos para a leitura da Bíblia. No salmo 1, o salmista dizia que meditava na lei do Senhor de dia e de noite. Hoje, quando dá um tempinho lemos algum trecho dela.


· Damos o dízimo do nosso tempo para a meditação e o nosso devocional diário com Deus. Quanto tempo faz que você não percebe a voz de Deus no dia-a-dia? Existem tantas vozes ecoando nos nossos ouvidos que, quando Deus fala, nem identificamos a Sua voz.


· Damos o dízimo do nosso tempo para o convívio comunitário. É triste ter que admitir, mas há pessoas na minha igreja local que, se quer, sei o nome. É imperdoável uma atitude dessas. Preciso resolver isso com urgência!


· Dou o dízimo do tempo que tenho (ou até menos) para desenvolver os dons e talentos que o Senhor me deu. Seja na música, seja no estudo da Palavra, ainda é muito pouco. Joseph Alleine (autor de Um guia seguro para o céu – Editora PES) dizia se sentir envergonhado quando acordava às 5 horas da manhã e via sapateiros que já estavam trabalhando e ele ainda estava dormindo, enquanto poderia estar em comunhão com Deus.


· Damos o dízimo do tempo que temos para a oração diária. Isso nem preciso comentar muito.


· Até podemos dar o dízimo do dinheiro que ganhamos, aí nossa consciência fica mais tranqüila.

3 comentários:

Pastor Menga disse...

MUITO BOM.


Pr. Menga
SOBERANA GRAÇA
http://smenga.blogspot.com

Gerson Borges disse...

Excelente texto, mano querido, parabéns. Nos faz pensar...

Abração, viu?
Gerson

Jorge Fernandes Isah disse...

Marcos,

e o que é pior: tudo o que você falou é verdade, e não nos importamos em ser e dar tão pouco.

Uma vergonha! A começar por mim e o mau uso do meu tempo.

Abraços.

Cristo o abençoe!