Total de visualizações de página

terça-feira, 23 de março de 2010

Irmãos, pequei de novo!!!

Pequei. De novo. Bem, isso não é novidade. Todo dia eu cometo pecado. E se não fossem as misericórdias do Senhor, eu já não existiria mais (Lamentações 3:22). Um olhar, um gesto, um pensamento, uma vontade... todo santo dia! É, talvez se eu me santificasse mais durante o dia.

Sabe de uma coisa, esse negócio de pecar todo santo dia já se vão 37 anos da minha vida. Cansei de pecar. Peca, arrepende. Peca, arrepende. Peca, arrepende. Peca, arrepende. Não agüento mais isso. Um dia o apóstolo Paulo também se cansou do pecado e perguntou “Quem me livrará do corpo dessa morte?” (Romanos 7:24). E junto com esse desejo ele se reconheceu como um miserável. É como eu me sinto hoje: um miserável!

Gostaria muito de não pecar mais. Gostaria que esse meu desejo de não pecar se concretizasse no meu corpo, nos meus membros. Pois não é que o apóstolo Paulo teve esse mesmo desejo:


“Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero, esse faço. Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. Acho, então, esta lei em mim: que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus. Mas vejo nos meus membros outra lei que batalha contra a lei do meu entendimento e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros.”
Romanos 7:19-23

O poeta Gregório de Matos, o famoso “boca do inferno” passava pelos mesmos dramas. Ele pecava e pedia perdão. Pecava e perdia perdão. Você conhece esse pequeno fragmento de A Jesus Cristo Nosso Senhor:

Pequei, Senhor; mas não porque hei pecado,

Da vossa alta clemência me despido,

Porque quanto mais tenho delinqüido,

Vos tenho a perdoar mais empenhado.

Gregório de Matos queria mais do perdão de Deus porque havia pecado mais e mais. O apóstolo Paulo já tinha condenado esse comportamento (Romanos 6:1-2). Não quero ter a abundante graça na minha vida por ter pecado demais. Não quero abusar da graça de Deus. O boca do inferno era um abusador da graça de Deus, apesar de escrever de forma bela esse erro! E então, volto à pergunta que não quer calar:

Se amo a Deus, por que quero pecar?

6 comentários:

Paulo Brasil disse...

Espero que a sequencia peca-arrepende não seja dos mesmos pecados.

Não somos tentados além de nossas forças, Deus provê o livramento com a tentação.

mas são expressão de maturidade cristã, se reconhecer pecador.

Em Cristo.

Pastor Menga disse...

A Bíblia não fala qual foi a reação do Apóstolo Paulo, ao ouvir do Senhor, "A minha graça te basta!" após clamar tantas vezes, para que seu espinho na carte fosse retirado.

Será que ele disse: Glória a Deus?
Será que ele pensou: Pronto, jã não preciso mais orar sobre esse assunto?
Será que ele ficou na boa?

Sinceramente, penso que não. Penso que ele continuou lutando por se livrar daquilo que o afligia, com a diferença que agora, tinha a certeza que o Senhor o ouvia e estava com ele.

Sim, pecamos sempre, eu pequei ontem também, espero não pecar hoje, vou pedir perdão novamente. Só quero ter acerteza que o meu Deus, ouviu o meu clamor, me perdoe e continue a andar comigo.

Estamos juntos nessa.

Um forte abraço,
Pr. Menga
http://smenga.blogspot.com

Juninha Carvalho disse...

o cristão não deve querer pecar, o pecado é consequência de nossa natureza humana, mas quanto mais nos aproximamos da cruz, quanto mais intimidade com o Mestre...menos damos lugar a esta tendência...e quanto a nos vermos livres dela....só quando formos levados desta vida. E se não fossemos assim...que graça teria a Graça?

Juninha Carvalho disse...

concordo plenamente....é essencial confessarmos, nos arrependermos de verdade e sermos eternamente gratos pelo Seu Amor e Perdão, saber que nos ouve e nos Amou, Ama e Amará...pois É Amor...grande abraço...

Pastor Menga disse...

Preciso corrigir algo que disse, no final de meu comentário.

Disse: "Só quero ter a certeza que meu Deus, ouviu o meu clamor, me perdoe e continue a andar comigo."

O correto é: "Só quero ter a certeza que meu Deus, ouviu o meu clamor, me perduou e eu continue a andar com Ele."

Abraços

Jorge Fernandes Isah disse...

Marcos,

por que eu peco? Por que a Bíblia afirma que sou pecador, e aquele que diz não ter pecados é mentiroso (incorrendo em pecado).

Gosto do pecado? É interessante que a carne se deleita e delira com ele, enquanto o espírito se entristece e lamenta com ele. Parece um paradoxo, mas não é, pois a Escritura diz claramente que a carne busca a corrupção e a morte eterna, enquanto o espírito regenerado busca agradar e ser agradável a Deus por intermédio de Cristo, desejando a vida eterna.

Uma coisa sei: peco, e, definitivamente, não gosto do meu pecado, nem me orgulho dele, na verdade, o desprezo, mas continuo a pecar, ainda que esmurrando a minha carne. Confio que a boa obra iniciada em minha vida, operada pelo poder de Deus, há de progredir e continuar até o dia em que não mais pecarei nem entristecerei ao bom Deus. Mas sei que isso ocorrerá exclusivamente pelo Seu poder, o qual eliminará de minha vida o pecado e o desejo de cometê-lo.

Enquanto isso, oro diariamente para que Deus não permita que eu peque, mas caso aconteça, que o revele e coloque em meu coração o arrependimento, perdoando-me.

E esta é a diferença entre o eleito e o não-eleito: Deus moverá aquele ao arrependimento, sabendo que pecou primeiramente contra Deus, e ainda assim está perdoado; enquanto este não terá o arrependimento nem o perdão divino.

Cristo o abençoe; edificando-nos e capacitando-nos a resistir ao pecado, esmurrando cada vez mais forte a nossa carne, para vivermos no Espírito.

Abraços.