Total de visualizações de página

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Deus pode ou não pode?

Eu e minha esposa estamos tentando engravidar. Mas, por uma série de problemas hormonais, não estamos conseguindo. E como bons cristãos que somos (ou pensamos ser!), oramos a Deus colocando nossos desejos e pedindo que Ele nos abençoasse com a gravidez. De tudo que a minha esposa está tomando, um dos hormônios é para a estimulação dos óvulos. E a Medicina está avançadíssima. De tal modo avançada, que o óvulo tem horário e dia certos para sair do ovário e poder ser fecundado. Pronto! Ainda em oração, recorremos a uma inseminação artificial. Depois dos espermatozóides terem sido colocados no útero da minha esposa pelo médico, eis a frase dele para nós: “Pronto! Fizemos a nossa parte. Agora é com Deus.”

E então pergunto: Deus pode nos dar um filho? Sim. Com ou sem a inseminação artificial? Bem, sendo Deus todo-poderoso, Ele pode tudo. Se Ele quiser, poderemos ter um filho sem a inseminação artificial. Se Ele quiser, poderemos ter um filho sem a fertilização in vitro. Afinal, Se Ele quiser poderemos ter o filho de qualquer jeito. Mas Ele pode não querer que tenhamos filhos naturais (1 Samuel 1:16). Assim, com ou sem técnicas modernas, tudo que nos acontece depende da vontade de Deus.

Da minha parte, creio firmemente que Deus pode fazer qualquer coisa. Há um questionamento de lógica que visa destruir a premissa que Deus é todo-poderoso. Não vou perder tempo em rebater esse argumento. Não é esse meu objetivo. Se você quiser, você pode ler a argumentação nesses dois lugares. O que estou pensando é se existe algo que limite a Deus naquilo que Ele queira fazer. Não sei se você está me acompanhando, mas vou colocar algumas perguntas para que fique mais claro.

1. Deus pode querer matar alguém? Sim, Deus pode querer matar alguém. A despeito da condição humana de pecado e de afastamento de Deus, a Bíblia mostra pelo menos dois momentos muito claros que queria matar as pessoas. (Deuteronômio 9:25; 1 Samuel 2:25).

2. Deus pode não querer curar alguém? Sim, Deus não tem obrigação de curar a todos que O buscam. Por exemplo, é bem provável que Paulo orou para a cura de Trófimo, que não foi curado (2 Timóteo 4.20). O próprio Paulo não foi curado de algo que o atormentava constantemente (2 Coríntios 12.7-10).

3. Deus pode não dar livramento? Sim, Deus pode não livrar um filho dEle. Estevão, não foi livre de ser apedrejado. Deus não livrou José de ser vendido e preso como um escravo qualquer.

4. Deus pode não querer operar milagres? Sim. As cidades de Tiro e Sidom não tiveram nenhum milagre da parte de Jesus (Mateus 11:21; Lucas 10:13).

5. Deus pode permitir que alguém não se arrependa? Sim. Os textos de Mateus e Lucas, citados acima, provam que os habitantes de Tiro e Sidom não se arrependeram por falta de sinais miraculosos de Jesus.

6. Deus pode não salvar alguém? Sim. Em Mateus, capítulo 7, lemos que naquele dia, Deus não salvará muitas pessoas, mesmo que tivesse usado Seu nome.

7. Deus pode beneficiar um grupo de pessoas em detrimento de outras pessoas? Sim. Quando Josué estava guerreando (Josué 10:12-13), o sol se deteve a fim de que a guerra fosse vencida por Israel. Da mesma maneira que as pragas no Egito prejudicaram apenas aos egípcios.


Provavelmente, muitos vão perguntar, Deus pode mudar de idéia? Afinal de contas, na Bíblia lemos várias passagens em que Deus Se arrependeu disso ou daquilo. Pessoalmente, creio que Deus não muda de idéia, ou de opinião. Se Deus mudasse de ideia, Ele estaria admitindo que tinha errado anteriormente. Se Deus mudasse de idéia e melhorasse Seu plano, Ele estaria admitindo que Seu plano não era perfeito anteriormente. Assim, entendo que, em todas as passagens bíblicas em que Deus Se arrepende de alguma coisa, Ele está admitindo a responsabilidade de permitir aquela situação. Esse ponto carece de mais aprofundamento e, no momento, estou orando e na expectativa, que seja da vontade de Deus nos abençoe com uma gravidez da Cyntia.

5 comentários:

Juliana disse...

Oi Marcos e aí como estão as coisas
eu queria conversar sobre seu artigo
a sensação q fiquei é q Deus ama mais uns q outros, abençoa mais uns q outros, me inquieto pq sei q ele não tem obrigação de fazer a nossa vontade mas faz a de alguns e de outros não, não consigo entender, e acho q nunca vamos entender, sei lá parece q ele é bom pra uns e pra outros não
enfim acho q vc não está aí, mas desejo e oro pela gravidez da Cíntia e q Deus os abençoe, q vcs sjam os sortudos, infelizmente eu não fui a sortuda desse ano e briguei muito com Deus por isso, mas sem nenhum êxito é claro.

Pastor Menga disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pastor Menga disse...

Olá meus queridos Marcos e Cintya. A Graça do Senhor Deus seja com vocês.

Eu não vejo nenhum problema em seu texto. Aliás, apesar das questões colocadas ai para o leitor pensar, quero crer que você não têm dúvidas com relação à sobrerania de Deus.

Com relação às tentativas para engravidar-se de uma criança, eu vejo como absolutamente normais e legítimas, visto que o Senhor têm abençoado os médicos nesse sentido.

Agora, em Isaías 66:9, ali nos é revelado que é o Senhor Deus quem abre e fecha a madre, e mais importante, é Ele que faz a criança nascer! Agora, penso sériamente, que quando todas as tentativas se esgotam, o Senhor Deus deve estar dizendo que quer que uma criança seja adotada.

Sobre a preocupaçãp da Juliana, sobre Deus amar mais a uns que outros, eu não tenho a menor dúvida que é exatamente isso que acontece.

A graça geral é verdadeira, quando Ele faz nascer o sol sobre bons e maus e a chuva cai sobre todos. Mas Deus, definitivamente, não ama o pecador que vai para o inferno.

Aliás, deve-se deixar claro que o mesmo Deus que É amor, é um Deus Irado e como Justo Juíz, condena o pecador eternamente.

Se não fosse assim, se o amor de Deus fosse para todos e sobre todos, todos seriam salvos. Se assim é, preparemo-nos para nos encontrar com Hitler no céu! Ou então, a salvação depende dos homens e não de Deus. Leia-se Êxodo 13:15.

É dura essa palavra? Sim é. Mas é assim que está na Bíblia.

Um forte abraço e um 2010 repleto da graça do Senhor para todos.

Beijos,
Sergio
http://smenga.blogspot.com

Jorge Fernandes Isah disse...

Marcos,

Assino embaixo o seu texto.

Em relação à gravidez da sua esposa e sua também, orarei para que Deus os abençoe, e segundo a Sua santa e perfeita vontade, conceda-lhes a graça de ter um filho. Mas que, sobretudo, dê-lhes paz e conforto em qualquer situação.

Com relação ao comentário da Juliana(ao qual o pr. Menga respondeu adequadamente), faço uma ressalva no que ela disse: "sei q ele não tem obrigação de fazer a nossa vontade mas faz a de alguns e de outros não, não consigo entender, e acho q nunca vamos entender, sei lá parece q ele é bom pra uns e pra outros não".

O erro da Juliana é acreditar que Deus realiza a vontade de alguns e não de outros (como se fosse um gênio das mil e uma noites), quando, na verdade, Deus realiza apenas e tão somente a Sua vontade. O que acontece é que a nossa vontade pode estar em "sintonia" com a dEle ou não. Se estiver, será realizada, se não, jamais se realizará. Da mesma forma, muitas coisas acontecerão sem que queiramos, mas exclusivamente porque o Senhor as quer.

Cabe-nos portanto querer a vontade de Deus (e isso Ele "planta" ou coloca em nossos corações; não somente o desejo, mas também o buscar), mas para querê-la é necessário conhecê-la e ao próprio Deus, e a única maneira é através das Escrituras, do estudo sistemático da revelação especial, sem a qual é impossível conhecê-lO.

Grande abraço!

Cristo os abençoe!

Elly Aguiar disse...

Juntos!