Total de visualizações de página

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Comprovado cientificamente!

Em qualquer discussão com um pouco mais de polêmica, as pessoas sempre apelam para o jargão: “...está provado cientificamente que...”, e aí colocam seus argumentos. A discussão pode ser sobre a eficácia de um remédio, sobre o uso da fé nos tratamentos de doenças, sobre a utilização dos 10% do cérebro, etc e etc. Todos os assuntos, todas as discussões parecem finalizar com o aval da ciência. Será mesmo que a ciência tem todo esse poder? Será mesmo que a ciência põe uma pedra final nas discussões? Minha impressão é que não é bem assim. Hoje, em pleno início do século 21, temos a impressão que se o cientista falou, “tá” falado!

Os cientistas, em nossa sociedade pós-moderna, gozam de uma certa aura mística e de muita credibilidade. Se bem que, para muitos, ciência não combina com fé. Cientistas são aquelas pessoas que estudam muito, o dia todo, todo dia, sem parar, portanto, quando falam, sabem o que estão falando. Cientistas fazem experimento o dia todo e ficam trancados em seus laboratórios testando um “monte de coisas”, para ver se essas “coisas” dão certo, ou funcionam, ou são do jeito que a gente pensa. Muitos cientistas – assim como muitos médicos – gostam de falar difícil, e quem fala difícil deve saber o que está falando. Cientistas dão entrevistas na televisão, escrevem em jornais, publicam livros... e se eles fazem tudo isso é porque eles são demais. Doce ilusão!!!

Assim como os políticos eleitos são a expressão da sociedade em que vivem, os cientistas também são a expressão da sociedade em que vivem. Antes de continuar, aceitem minhas desculpas pelas generalizações. Não são todos os cientistas que pensam da mesma maneira, sendo assim, vou falar da ciência e não dos cientistas.

1. A ciência só acredita naquilo que ela consegue provar. Conta-se que numa aula de anatomia, com o corpo dissecado na frente dos alunos, o professor perguntou: “Estão vendo, está tudo aí, não existe nada dessa coisa de Criador da vida, existe?” Um aluno retrucou: “Professor, o senhor ama sua esposa?”, o professor respondeu: “Sim e muito”. “E onde está o amor nesse corpo, professor?” No silêncio do professor o aluno finalizou: “Acho que o senhor não ama tanto assim.”

2. A ciência está certa em tudo que fala. Já disseram que a melhor dieta é só comer carboidratos. Depois disseram que tinha comer só proteínas. Depois ainda, já disseram que tínhamos que comer gordura. Já disseram que a melhor pressão arterial era 12x8. Agora tem cientista que diz que é 13x9, ou 13x8. Tem cientista que diz que vírus é um ser vivo, tem cientista que diz que ele não é ser vivo. Tem cientista que diz que a vitamina C é boa pra evitar resfriado. Tem cientista que diz que ela não evita nada. Tem cientista que diz que é bom a mulher menstruar. Tem cientista que diz que não é bom a mulher menstruar.

3. A ciência pode melhorar a nossa vida. O que você acha dessas descobertas científicas — pólvora, bomba atômica, substâncias químicas tóxicas, armas biológicas, drogas. São alguns exemplos de descobertas científicas presentes na sociedade moderna que necessariamente não melhoram a nossa vida. Pelo contrário.

Para pensar: será mesmo que a ciência é tão isenta assim? Será mesmo que por trás da ciência também não existem ideologias e pressupostos que precisam ser defendidos? Será mesmo que a ciência só tem o interesse do bem-estar social? Será mesmo que a ciência pode nos ser uma base firme de confiança? Será mesmo que os cientistas que tanto lutaram para a utilização das células-tronco embrionárias humanas querem só mesmo a cura das pessoas? Será mesmo que numa discussão a frase “...mas a ciência comprova...” é suficiente para resolver as dúvidas?

2 comentários:

Anônimo disse...

Você está se equivocando meu caro. Ao mesmo tempo que você diz falar da ciência e não de cientistas, você está dizendo totalmente ao contrário. Todos os exemplos dados ai, e historinha contada, foi em cima de um cientista. A ciência se baseia em estudos, métodos, observações, e ela leva em consideração várias variáveis. Não é porque um cientista comprovou alguma coisa que está 100% correto, mas não pelo fato de estar errado e sim porque ainda falta métodos ou a variáveis a serem consideradas. Não é que temos que acreditar em tudo que cientistas dizem. Porém é obvio que temos que levar em consideração, pois uma pessoa que estudou que tem provas do que está dizendo é obvio que ela tem mais mérito do que alguém que diz algo por dizer. Ciência nenhuma disse que a melhor dieta é só comer carboidrato, e nem só proteína, quem está dizendo isso é você. Dieta boa é Dieta balanceada e depende do indivíduo, e isso que sempre foi dito. Mas é claro que cientistas podem se enganar, mas por que não usou a ciência direito. Mas se pararem pra pensar, todos as descobertas e estudos se não muito corretos, resultados foram aproximados e usados para outros cientistas, chegarem a conclusões melhores. O uso da ciência para descobrirem polvora, bomba atomica, etc. Ai você está usando o contexto de Cientista mais uma vez e não da ciência. Se coisas foram inventadas, para o mal, quem as inventou, que está errado, e não a ciência. A ciência pode ser usada para descobrir coisas boas, se não fosse a ciência você poderia estar nem dando aula hoje, pois uma febrezinha, ou gripezinha teria matado já. Mas graças a Ciência e a cientistas que descobriram remédios para curar as pessoas de coisas que matavam antigamente mas hoje não. É isso... A evolução vem da ciência, e pode apostar, se você é religioso ainda Deus nos deu a ciência e a inteligência para podermos evoluir. Só depende de como as pessoas a usam. =]

Música, Ciência e Teologia disse...

Anônimo, perdoe-me por responder só agora. è que estava de férias e cheguei nesta semana.

Em primeiro lugar, seria bem melhor se você se identificasse. Assim nossa conversa não seria tão impessoal.

É verdade, falar de Ciência me obriga a falar dos que fazem Ciência. Mas isso não me faz estar equivocado. Pelo contrário, só reforça tudo o que escrevi. A Ciência é feita por pessoas que carregam seus históricos pessoais e, portanto, não fazem da atividade científica algo impessoal.

As "historinhas" não foram em cima de um cientista. Se você não percebeu eu citei, propositadamente, várias áreas da Ciência que mostram o mesmo padrão de atuação.

Você realmente reconhece o impacto da fala de alguns cientistas? Se eu afirmo alguma coisa sobre genética a relevância é bem menor do que se Francis Collins dissesse a mesma coisa. A palavra de cientistas renomados é tomada quase como um "dogma" na comunidade científica. Apenas um exemplo. A maioria dos cientistas desconsidera a figura de Deus. Mas quando Richard Dawkins afirma isso, o ateísmo ganha um peso muito maior do que se a mesma frase fosse falada por algum cientista da USP, por exemplo.

Quanto às dietas que você afirma que nenhum cientista afirma isso ou aquilo você se equivoca. Basta pegar qualquer livro de dietas para verificar que cada cientista puxa as dietas para sua linha de pesquisa. Veja exemplos do ovo. Já foi dito que ele prejudica, pois aumenta o colesterol. Já foi dito que ele é bom por causa da albumina. Olha, de dietas e fisiologia, modpestia à parte, eu entendo bem, tanto por fazê-las, tanto por estudá-las.

Não vou discutir fisiologia com você, pois nem sei se você é qualificado para isso. Nçao sei quem você é. Quanto as dietas dependerem dos indivíduos, isso é verdade. Porém, qualquer um que come mais gordura do que outros, sofrerá com esse tipo de dieta.

Eu teno a impressão que você leu meu texto e não entendeu nada. O problema não é a Ciência, mas o uso que se faz dela. É isso que está no meu texto. O que você não entendeu é que a minha crítica tem dois aspectos. Um deles é que os cientistas se colocam, muitas vezes, como "deuses" com resposta para tudo, desde que seja comprovado cientificamente. Minha outra crítica é para a sociedade que aceita qualquer coisa que se diga que foi "comprovado cientificamente".

Leia de novo o texto e preste atenção a isso.

Até mais, Marcos.