Total de visualizações de página

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Jesus não morreu por todos - Parte 1


Jesus não morreu por todas as pessoas. Essa é uma afirmação bíblica com amplo respaldo de versículos, tanto no Antigo como no Novo Testamentos. Vejamos, por exemplo, um dos versículos mais famosos da Bíblia, João 3:16:



“Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”

Pois bem, esse versículo afirma que os que têm a vida eterna e não perecerão são apenas os que creem e não qualquer tipo de pessoa. Já temos um ponto de partida: não são todas as pessoas que serão salvas – serão salvas apenas as pessoas que creem em Jesus Cristo, o Filho unigênito do Pai. Veja que o apóstolo João vincula a vida eterna ao fato de a pessoa ser capaz de crer que Jesus Cristo é o que garante essa vida eterna. Temos aqui uma condição essencial para a salvação, crer no Senhor Jesus Cristo.

Assim, se eu creio que Jesus Cristo é meu Senhor e Salvador, posso ter certeza absoluta que Ele efetivamente morreu para mim, do contrário eu não creria nEle. Esses dois fatos estão intimamente ligados, Ele morreu por mim por isso eu creio nEle. E nessa ordem: primeiro Ele morreu, depois eu cri. A fé que eu tenho que Ele me salvou é consequência do ato dEle ter me salvado. Usando o tema do amor, lemos em 1 João 4:19 que “nós amamos porque ele nos amou primeiro”. 

Não podemos inverter essa ordem, caso contrário a nossa fé seria a causa da nossa salvação. Se tiver que responder a alguém por que sou salvo, minha resposta deve ser que sou salvo porque Ele morreu por mim e me deu fé. Essa fé que tenho na obra de Jesus Cristo é a consequência da Sua morte e ressurreição. Posso acreditar que o prefeito vai tentar fazer o melhor pela minha cidade, ou que minha esposa me ama profundamente. Mas crer que Jesus Cristo é o Senhor, requer uma fé especial, diferente dessa fé comum em pessoas comuns. Chamamos essa fé de fé salvífica.

Afirmar com fé o senhorio de Jesus Cristo é tão especial que o mesmo apóstolo João afirma que esse tipo de afirmação só é feito da parte de Deus (1 João 4: 2-3). Se não for obra de Deus na nossa vida, jamais poderíamos afirmar isso com convicção, de modo que gerasse vida em nós. Primeiro nossa mente e coração são transformados para entendermos a urgência da obra de Cristo por nós, recebemos fé da parte de Deus e confessamos que Jesus Cristo é nosso Senhor. Quem não é capaz de afirmar que Jesus Cristo é Senhor e Salvador de Sua vida, não pode dizer que Jesus morreu por ele. Daí, então, surge uma pergunta importante nessa reflexão: por quem Cristo morreu?

Vamos tratar desse questionamento na próxima postagem

2 comentários:

André Krasovic - LMA disse...

Grande Marcos, tudo beleza ?

Gostei muito de ler este último post de 13-07, ele faz sentido para mim, mas uma parte importante dele, é ainda uma das dúvida, se é que posso dizer desta forma, uma vez que acredito Nele que, até hoje me faz pensar e chegar a uma resposta concreta, e você abordou este tema no post. Coincidência não existe, nada é por acaso, e ler este post fez este pedaço, dentre vários, ficar menos no "vácuo" de uma resposta que me convença quanto as razões da morte Dele por nós entre algumas outras coisas...excelente, gostei muito.

Abraços

André

Música, Ciência e Teologia disse...

Oi André, esse é um tema delicado na igreja cristã. Dizer que Jesus não morreu por todas as pessoas é muito complicado. Ao longo da história da igreja, pensadores e teólogos debatem muito esse assunto.

Mas o que ainda está obscuro para você?

Abração, Marcos.