Total de visualizações de página

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Confissão de Fé Batista de 1689 - Um resumo

Em abril de 1995 conheci a Confissão de Fé Batista de 1689. Sete anos antes já havia conhecido a Confissão de Westminster. Quando li a Confissão Batista achei que fosse uma cópia da outra. Na verdade, naquela época a sã doutrina estava mais preservada entre os cristãos.

Pouco tempo depois, me deparei com um resumo da Confissão Batista em inglês que resolvi traduzir para mim. Hoje procurei o resumo em inglês e não achei. Mas mesmo assim foi publicar a tradução que fiz. Trata-se de um bom resumo daquilo que acredito ser a essência das Escrituras.

1.      Eu creio no verdadeiro e vivo Deus, que subsiste em três Pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. É invisível, pessoal, onipresente, eterno, não dependente de ninguém, imutável, sincero, digno de confiança, poderoso, soberano, onisciente, justo, santo, bom, amoroso, misericordioso, longânimo e gracioso.
2.      Eu creio que o Deus todo-poderoso revelou tudo que é necessário para a vida e salvação nos 66 livros das Sagradas Escrituras, que são a Palavra de Deus. Toda a Escritura foi dada por inspiração de Deus, é infalível e inequívoca e o árbitro final em todas as discussões. Sua autoridade é derivada do Seu autor e não das opiniões dos homens.
3.      Eu creio que Deus criou o nosso primeiro pai Adão perfeito, santo e íntegro. Ele foi colocado como representante e cabeça da raça humana, de tal modo a expor todo sua descendência aos efeitos da sua obediência ou desobediência às ordenanças de Deus.
4.      Eu creio que Adão caiu de sua justiça original em pecado e trouxe sobre si mesmo e toda sua descendência morte, condenação e pecado.
5.      Eu creio que é completamente impossível ao homem decaído, por si mesmo, amar a Deus, guardar Suas leis, entender o evangelho, arrepender-se dos pecados ou crer em Cristo.
6.      Eu creio que Deus, antes da fundação do mundo, para Sua própria glória elegeu um inumerável número de homens e mulheres para a vida eterna como um ato da Sua livre e soberana graça. Essa eleição não foi, de maneira nenhuma, dependente de Sua previsão de fé do homem, ou sua decisão, obra ou méritos.
7.      Eu creio que Deus enviou Seu Filho ao mundo, concebido da virgem Maria pelo Espírito Santo, sem pecado, sendo Deus e homem, nascido sob a Lei para viver uma vida de justiça em favor do Seu povo eleito.
8.      Eu creio que o Filho de Deus morreu na cruz do Calvário para efetuar propiciação, redenção, reconciliação e expiação para Seu povo eleito. Deus propiciou evidência para a Sua aprovação da obra de Seu Filho ressuscitando-o dos mortos.
9.      Eu creio que o Filho de Seus ascendeu à destra do Pai e está entronizado em glória, onde intercede em favor do Seu povo e governa todas as coisas para Sua própria glória.
10.  Eu creio que Deus, o Filho, enviou o Espírito Santo para atuar em consonância com a pregação da Palavra. O Espírito Santo regenera o pecador eleito e o atrai à fé em Deus de maneira irresistível.
11.  Eu creio que os eleitos, aqueles que são cheios por graça, são justificados aos olhos de Deus de acordo com a justiça de Cristo imputada a eles, que é recebida apenas por fé.
12.  Eu creio que todos aqueles que são chamados, regenerados e justificados serão preservados em santidade e nunca cairão do seu estado de graça.
13.  Eu creio que o batismo por imersão e a ceia do Senhor são ordenanças do evangelho pertencentes apenas aos regenerados.
14.  Eu creio que a igreja local está sob autoridade apenas de Jesus Cristo. A comunhão dos santos, contudo, requer reconhecimento e relacionamento com outras igrejas.
15.  Eu creio que o Senhor Jesus Cristo voltará para ressuscitar os mortos, justos e injustos e que os justos se regozijarão na vida eterna e que os injustos receberão sua condenação por toda a eternidade.

Nenhum comentário: