Total de visualizações de página

terça-feira, 8 de março de 2011

Estou com vontade de pecar - Parte 1


         Estou com vontade de pecar. De novo! Já escrevi sobre isso aqui. Não fiquei sem vontade de pecar durante esse tempo, não. Pelo contrário. A vontade de pecar é diária e constante. Do mesmo jeito que a nossa luta contra ele deve ser. Se fosse escrever sobre a vontade de pecar, o blog ficaria com um assunto só. Mas hoje voltei a pensar nisso com mais intensidade. E ainda me interesso por entender e responder a pergunta: por que queremos pecar?
         Depois de Romanos, capítulo 7, onde o apóstolo Paulo dissecou a relação entre nossa vontade e ação, um livro que tem me ajudado muito é A Tentação / A mortificação do pecado, de John Owen (Editora PES). Trata-se de uma análise muito boa e pertinente sobre a relação que temos com o “pecado que de tão perto nos rodeia” (Hebreus 12:1).
         A Bíblia não mascara a presença do pecado na nossa vida. Um dos problemas é que a nossa natureza é pecaminosa (Salmo 51:5; Romanos 5:12). Já nascemos marcados pelo pecado e queremos satisfazer as suas vontades (Romanos 8:7) desde a mais tenra idade. Infelizmente, crianças que são cuidadas e educadas, ensinadas e tratadas com todo amor e carinho, vez ou outra, sem que os pais tenham estimulado, passam a ter atitudes pecaminosas. É uma mentira, pegar algo que não é delas, afastar outras crianças, entre outros exemplos.
         Mas não é apenas uma questão de nascer pecaminoso. Pecamos e endossamos o pecado todos os dias na nossa vida. O apóstolo Paulo chega a argumentar contra a ideia de permanecermos constantemente no pecado para termos mais graça (Romanos 6:1-2). Uma vez que morremos para o pecado, quando Cristo nos alcançou, temos agora de nos esforçar para viver de modo digno a esse chamado (Efésios 4:1).
         A Bíblia ensina que a convocação de Deus é que as pessoas se arrependam (Atos 17:30). Contudo, deixado sozinho, sob a influência de um suposto “livre-arbítrio”, que não existe, as pessoas não se aproximam de Jesus. E Ele próprio testemunhou isso (João 5:40). As pessoas não queriam ter vida em Jesus, pois se sentiam satisfeitas e realizadas em seus pecados.
         Tendo analisado a presença do pecado na nossa vida, precisamos saber como lidar com essa questão do nosso desejo de pecar. Como controlar esses desejos pecaminosos? Como podemos nos afastar do pecado e tentar diminuir sua influência sobre a nossa vida? Mas isso fica para outro texto. Em breve!

Um comentário:

Léo disse...

Fala Marcão, é..............eu to tentando não pecar faz tempo, mas isso é impossível, porém devemos sempre tentar, eu sei o que eu tenho que fazer nesse caso:Ajoelhar, orar e ler a biblia!
Simples, mas nunca fácil.
Um abraço e seu blog é muito bom, estou acompanhando ele desde 2008.