Total de visualizações de página

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Estou com vontade de pecar!

Todos nós temos vontade de pecar. Não dá para escapar disso. O apóstolo João escreveu que quem não tem pecado já é mentiroso (1 João 1:8). A vontade de pecar ganha força quando há uma possibilidade, ainda que remota, real de se rebelar contra algo ou alguém. Desde o jardim do Éden, quando o homem quis tomar as rédeas da própria vida, essa vontade tem feito separação entre o Criador e Suas criaturas.


Estou com vontade de pecar porque acabei de voltar da Receita Federal. Fui negociar minha dívida com o “leão”. O pessoal lá da Receita está dizendo que estou devendo. É lógico que não concordo com isso. Pago quase R$ 3.000,00 retido na fonte e ainda devo quase a mesma quantia todos os anos. Alguma coisa está errada nisso. Saí do prédio da Receita Federal com vontade de sonegar na próxima declaração de Imposto de Renda.


Um grande amigo meu, cristão também, não paga o Imposto de Renda. Ela dá um jeito de não pagá-lo. Não sei o que ele faz, mas sei que ele não paga. E a alegação dele, ainda que verdadeira.... eu não sei não! Ele fala que não paga para um bando de ladrões e corruptos ficarem roubando esses impostos. Pelo pouco que sei não é isso que a Bíblia fala.


Bem, pelo título do meu texto já dei a dica. Infelizmente querido leitor, gostemos ou não, concordemos ou não, sonegar os impostos é pecado. Devemos dar a “César o que é de César e a Deus o que é de Deus” (Mateus 22:21). Meu amigo até reconhece que está errado, mas prefere não pagar o tributo. Espero que ele não pague pelo seu próprio erro!


Mas minha vontade de pecar foi motivada pela injustiça que ocorre no Brasil. Não é justo pagarmos tudo o que pagamos e os governantes serem maus administradores e roubadores desse dinheiro. No fundo a gente sempre tenta encontrar uma desculpa para nosso pecado. Contudo, a razão de querermos pecar é que somos... pecadores. Sim e infelizmente, somos pecadores!!!


Tive vontade de xingar a atendente que apenas me entregou os comprovantes da minha dívida – o pior foi ouvir dela que estava em dívida porque não havia pago. “Como assim não havia pago? Todo mês me descontam do salário!!!!!” Tive vontade de mandar aquelas pessoas e aquele prédio para a “meretriz que os tinha parido”. Tive vontade de afogar minha decepção e frustração com um belo e grande prato de comida, até não caber mais. Tive e ainda tenho vontade de me mudar desse país. Pena que ela não quer!!!


De tudo isso, comi um sanduíche que não era grande, uma esfiha e um refrigerante... zero de açúcar. Depois comi um bombom. Agora estou entrando no site da Receita Federal para ser provado no meu cristianismo. Será que ainda vou ter vontade de pecar por causa do Imposto de Renda?

4 comentários:

Simplesmente Neide disse...

Marcos...adoro seu jeito de falar, sua revolta é encantadora porque é justa, real...e concordo "ipsis litteris" com você. Realmente é muito difícil negar o desejo de pecar e como você, também confesso...nestas questões de injustiça também tenho desejo de pecar.
Acredito que "infelizmente" muito pouco jovens, como você, se revoltam e sonham com a justiça e por isso tudo é como é.
Na minha juventude os jovens tinha sonhos e ideais de justiça.
Deus seja conosco e tenha misericórdia de nosso jovens.
Beijinhos.

Jorge Fernandes disse...

Marcos,
você tirou as palavras da minha boca e colocou-as na minha mente e coração.

É duro quando refletimos e percebemos que não somos tão bons cristãos assim como pensamos (ao menos, no meu caso); que ainda que tenhamos a mente de Cristo, estamos a milhares de léguas de distância da Sua santidade e perfeição.

Oro para que um dia diga como Paulo: Já não sou eu quem vivo, mas Cristo vive em mim.

Creio que a boa obra de Deus está sendo realizada, e prosseguirá até o dia do Senhor.
É que as vezes acho que está demorando demais, porque o pecado me faz desejar ardentemente a santidade.
O que me leva a fazer outra pergunta, muito parecida com a sua: por que então pecar?

Abraços.

Jorge Fernandes disse...

Marcos,
parabéns pelo novo layout.
Ficou mais clean.
Abraços

Pastor Menga disse...

Bem Marcos, você me pediu para comentar o seu post. Começo concordarndo com o título, o conteúdo e o motivo citado. Concordo com você.

Mas que observar duas coisas. Primeiro, não é correta a atitude sua ou de qualquer outra pessoa, descarregar a sua "frustração", indo em um restaurante, e se encher de comer até não da mais. Isso, é uma agressão ao corpo que não te pertençe. Isto seria, duplo pecado. Entende?

A segunda observação, é mais polêmica. Ora, você põe em discussão a corrupção reinante no modelo deste mundo (Brasil), e eu coloco em discussão o sistema de ensino abusivo nas igrejas sobre o pagamento do dízimo com base em Malaquias. Fica ai, aberta a discussão.