Total de visualizações de página

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Odeio desafios e abalos!!!

Não quero ser abalado. Se você já recebeu alguma notícia que te abalou, talvez as lembranças não sejam tão boas. No dicionário Houaiss, podemos aprender o significado de ser abalado. Veja que interessante:

Acepções
■ adjetivo
que se abalou
1 que tem pouca firmeza ou está mal seguro
Ex.:

2 Derivação: por extensão de sentido.
que se tornou enfraquecido; alquebrado
Ex.: saúde a.

3 Derivação: sentido figurado.
que se tornou hesitante; frouxo, inseguro
Ex.: mostrou-se a., não acompanhara os avanços científicos de sua área

4 Derivação: sentido figurado.
que se impressionou ou perturbou com choque ou abalo
Ex.: a. com o desamparo daquela gente, soltou a verba para a saúde

Em todas essas definições, inclusive nas de sentido figurado, não há como querer passar por uma situação dessas. Tornar-me enfraquecido, hesitante, inseguro, frouxo; ficar perturbado ou em estado de choque, definitivamente essas sensações não estão nos meus planos.

Contudo, e infelizmente, essas sensações não saem da cabeça de muitos pastores, bispos, apóstolos e até de líderes de louvor. Essas pessoas querem que Deus abale as pessoas, que as cidades sejam abaladas, que as estruturas sejam abaladas. Imaginem esses homens pregando assim lá no Japão ou no Chile, onde ocorrem terremotos todos os anos.

A liderança evangélica brasileira está totalmente fora da realidade, com um discurso inflamado, arrogante e teologicamente capenga. Falta Bíblia nos púlpitos de hoje. Falta usar o raciocínio, essa faculdade que nos diferencia dos chimpanzés, gorilas, orangotangos e bonobos. Simplesmente não há reflexão sobre a própria prática dos pastores. Eles estão criando uma geração abalada psicologicamente, teologicamente e nos relacionamentos. Esse abalo que os pastores propõem não tem nenhuma base bíblica, absolutamente nenhuma!

Não há nenhuma oração registrada nas Escrituras que peça esse comportamento da parte de Deus. Se Deus realmente estiver determinado a abalar as estruturas será algo perigoso para a espécie humana. Ele fez isso no Dilúvio, na Torre de Babel, em Sodoma e Gomorra, em Nínive, apenas para citar alguns exemplos.

E não me venha dizer que a definição número 4 do dicionário pode ser aplicada ao sentido que eles querem dar a essa palavra, pois em nenhum momento eles querem que as pessoas fiquem impressionadas. Na ânsia de fazer o culto “pegar fogo”, os pastores usam essas palavras de ordem para demonstrar que estão cheios de poder, ou cheios do poder de Deus. A bem da verdade, acho que falta mesmo é vocabulário para eles. Trata-se de falta de conhecimento do vernáculo.

Também não quero ser desafiado. Os líderes hodiernos (veja no dicionário) gostam de desafiar os ouvintes. E eles os desafiam a dar uma contribuição maior, os desafiam a “profetizar” para outras pessoas e sobre si mesmos, os desafiam na hora do louvor, os desafiam para tomar uma certa postura na vida... É tanto desafio que parece mais um filme de bang-bang ou da Idade Média, quando os homens se desafiavam.

Imagine se Deus Se colocasse em posição de desafiar alguém. Você consegue perceber o risco que nós correríamos se Ele nos desafiasse para alguma coisa. A única vez que parece estarmos autorizados a “desafiar” a Deus é quando não O roubamos naquilo que devemos oferecer a Ele (Malaquias 3). Mas quem é que se encontra nessa posição de ter a capacidade de fazer prova de Deus? Eu não quero ser desafiado pelo Todo-poderoso. Eu quero é ser abençoado por Ele.

Ao invés dos pregadores fazerem aquilo para o qual foram chamados, que é pregar o evangelho, eles ficam nessa toada de desafios e abalos. Falta muita cultura entre os pregadores atuais. Quando um desafio era proposto era pra se medir a força entre os desafiantes. E quem é o homem para ficar desafiando a Deus? “Para que medir forças com o Sol da justiça?”. Esse discurso é muito mais para mostrar um pretenso poder que os pregadores dizem ter – ou pelo menos querem demonstrar que têm. Isso é ridículo!

6 comentários:

Simplesmente Neide disse...

Amado Marcos...este mesmo sentimento compartilho com você e agradeço a Deus por termos (muitos de nós) o PRIVILÉGIO de discernir, de CONHECER A VERDADE pois infelizmente milhares de pessoas, amadas de Cristo, ainda são manipuladas por estas pregações tão superficiais e enganosas.

A simplicidade do PLANO DE DEUS deixa o ego do homem inflamado e o pecado que habita no coração ganha força e se expõe e então, já se perdeu o verdadeiro sentido da missão...que é levar o homem a conhecer o coração de Deus.

Minha oração é que, eu, você e todos os outros que se sintam agredidos (não abalados) por esta pregação tão comum hoje, nos voltemos ao GRANDE EU SOU clamando por misericórdia...

Beijinhos no seu lindo e enorme coração.

Elly Aguiar disse...

Meu irmão do peito, faz tempo que não paramos pra por o papo em dia, mas vc e sua casa estão no meu coração e nas minhas orações!
Mano, curti muito o teu texto, e sabe de uma coisa?
Muita coisa bizarra está rolando na igreja Brasileira, pq a ousadia de alguns chegou ao ponto de desafiar a Deus, sábias palavras as tuas mano vei, sou teu fã, e vc sabe disso!
Estou lendo: O que estão fazendo com a igreja - Augustus Nicodemus é da Editora MC, vale a pena Marcão, recomendo!

Jorge Fernandes disse...

Marcos,
Sua indignação é a mesma de muitos de nós, os quais vemos nesses homens não somente a ignorância, o desconhecimento de Deus, mas também a impostura, que acomete muitos líderes. Eles, quando confrontados pela verdade bíblica, fazem-se de desentendidos, ignoram o alerta, e continuam na maior cara-de-pau pregando a mentira, como se nada tivesse acontecido.
Há os que esbravejam, xingam, ameaçam, mas não são capazes de refutar o argumento bíblico, protegem-se com a pecha: "você está distorcendo o texto para me atacar. Quem é você para me julgar?". Isso é doentio, diabólico,e não é só ignorância, mas má-fé, rebeldia, desonestidade, mentira. Frutos podres que o diabo planta em árvores estéreis.
No fundo, são desobedientes a Deus e a Sua palavra, e querem removê-lO da divindade, tirá-lO do trono se fosse possível (não foi esse o desejo do maligno?); são os lobos cruéis aos quais Paulo se referiu em Atos 20.29, e dos quais Pedro disse: "por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita" (2Pe 2.3).
Mas não adianta apontarmos os seus erros se nós não fazemos o correto aos olhos de Deus. É preciso que não nos acomodemos, e fiquemos apenas como aquele que vê o circo pegar fogo, e não quer apagá-lo. Devemos, a cada momento e junto a cada irmão, alertá-los sobre o falso evangelho que está sendo pregado, o evangelho da exaltação humana e do servilismo de deus (em minúsculas, porque esse não é o Deus bíblico); isso contribuirá para a saúde da Igreja, porque é o que Deus ordenou a cada um de nós.
Além de proclamar o Evangelho de Cristo, temos de dar o bom testemunho de Cristo a todos os homens.
E a sua exortação é o início; e cada um de nós que a leu, certifique-se de orar ao bom Deus e pedir que nos capacite a ser como o Seu Amado Filho.
Parabéns pelo post.
Abraços.

Música, Ciência e Teologia disse...

Querida Neide, muitos de nós somos frutos desse tipo de pregação.

Mas Deus nos livre de escutarmos essas vozes contrárias à Sua Palavra. Que Deus nos dê amor por esses pregadores a fim de orarmos por eles.

Beijo, Marcos.

Música, Ciência e Teologia disse...

Ellyzão, esse livro do Dr Nicodemus é uma porrada na atual liderança brasileira. Ele bota os cinco dedos na ferida da igreja brasileira a fim de curá-la.

Você sabe que quando a ferida é profunda, não tem como lavá-la e purificá-la se o tratamento for superficial. Que Deus nos dê essa coragem.

Grande abraço (do nosso tamanho) pra vc, Marcos.

Música, Ciência e Teologia disse...

Jorge, meu internético amigo, sempre preciso nos comentários e botando os pés no chão... precisamos sim dar o exemplo, não esmureceer e sempre mostrar o certo, para que a luz de Jesus realmente brilhe no meio das trevas.

Obrigado por sua reflexão.

Abração pra ti, Marcos.