Total de visualizações de página

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

A Brevidade da Vida

Esse ano de 2008 vai ficar marcado para mim. Em meus 36 anos, nunca fui a tantos velórios como nesse ano. Gente querida que partiu e gente querida de uma grande amiga também partiu. Isso me fez pensar na brevidade da nossa vida e no fato que basta estarmos vivos para nossas células “resolverem” para de funcionar.

O texto que posto hoje tinha sido escrito há algum tempo. E é exatamente o que pensei ontem voltando de um velório muito comovente.

Se você perguntar para um aluno de 12 ou 13 anos do que o corpo humano é formado, vai ouvir que é formado por água e por células. Só pra dar uma idéia da quantidade de células, imagine que você tenha 100.000.000.000.000 notas de um real em casa; é mais ou menos a quantidade de células do nosso corpo. Imaginar que essa quantidade surgiu a partir de sucessivas divisões celulares de uma única célula formada na fecundação é algo realmente assombroso. Bem disse o salmista: “Eu te louvarei, porque de um modo terrível e tão maravilhoso fui formado; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem” (Salmo 139:14).

Que afirmação espantosa, ainda mais para alguém que não dispunha de imagens 3D de ultra-som, microscopia eletrônica ou algo parecido. Só mesmo Deus para revelar algo tão maravilhoso. Interessante que ainda hoje, nós cientistas, não sabemos como uma célula pode originar várias e como cada uma delas de diferencia em células musculares, cardíacas, nervosas e etc. A propósito, essa é a grande linha de pesquisa atualmente com o Projeto Genoma, as células-tronco. Mas esse não é o nosso assunto agora.

Há poucos dias recebemos a notícia da morte de Terri Schiavo e do Papa João Paulo II. Isso me fez pensar no evento mais certo e previsível para qualquer ser vivo que vagueia por esse planeta. Se ninguém ainda lhe disse, preste atenção, você vai morrer!!! Mais dia, menos dia, você vai deixar de existir nessa vida. Em Biologia chamamos isso de apoptose celular, ou seja, a morte celular programada. Se não lhe acontecer nenhum acidente que cause sua morte, algum dia na sua velhice, suas células vão parar de funcionar. No caso do papa isso é muito evidente, pois chegou um momento que suas células pararam de funcionar por uma série de eventos. No caso da Terri, ela sofreu um ataque cardíaco o que lhe ocasionou vários problemas.

E a nossa vida espiritual? Bem, um fato diferente da vida celular é que ela já começa morta. Davi escreveu no salmo 51 que ele foi concebido em pecado (v. 5) e o apóstolo Paulo, que antes de Jesus nos alcançar, estávamos “mortos em delitos e em pecados” (Efésios 2:1). Isso significa que nossa comunicação com Deus não se estabelece até que Ele mesmo Se volte para nós e nos chame pra perto de Si (João 15:16). É uma dura realidade, mas meu filho vai nascer pecador e afastado de Deus, tendo as mesmas necessidades espirituais que eu tenho.

Deus não está nem um pouco preocupado com a lógica humana. As palavras “morte” e “vida” assumem significados interessantes no vocabulário de Deus. A nossa vida espiritual é garantida pela morte física do Salvador. Nossa morte espiritual é acompanhada desde o início da nossa vida física. A morte eterna – que é entendida como o alijamento eterno da presença de Deus – se perpetuará durante toda a eternidade, ou seja, vai ter “vida longa”. A vida eterna que nos foi dada em Cristo nunca vai acabar, ou seja, jamais vai morrer.

Em questões de salvação Jesus foi muito claro: “... a carne para nada aproveita”, o que realmente interessa é que o nosso espírito seja alimentado (João 6:63). Isso não significa que estou pregando que não devemos ter cuidado com o corpo. Por exemplo, glutonaria e embriaguez são pecados graves que impõem ao corpo uma carga muito pesada (Colossenses. 3:5; Efésios 5:18). Também não estou afirmando que não devemos procurar os médicos, eles são uma bênção de Deus para nós. Contudo, o que você vê todo dia diante do espelho, gostando ou não do que vê, vai virar comida de fungos e bactérias decompositores.

Que a nossa alma se apegue ao Senhor, que o nosso espírito se comunique com o Espírito Santo de Deus, que nosso corpo expresse a vida de Deus através de obras que dignifiquem e glorifiquem o nome de Deus. Graças a Deus, na ressurreição dos mortos, nossos corpos serão glorificados e não mais corruptíveis.


Um comentário:

Leonardo disse...

Puxa Marcão,a vida é misterio que só na graça saberemos o que é.
Engraçado mas,a gente fala que estamos preparados para morte..............balela,quando a gente esta na beira da morte é que muitas vezes nós conseguimos enxergar que somos fracos que somos dependentes de Deus.
Muitas vezes(até em demasia) pelos meus abusos na adolescência,passei olho a olho com a morte e com o inferno,mas fui salvo pela graça.
Isso me ez ser mais sensivel a morte e a perdas,não pareço por fora,mas quando perco uma pessoa proxima ou algum amigo me trai,perdendo ele,uma tristeza bate em meu coração que é dificil recuperar,mas o que me acalenta e saber que alguem "nasceu,sofreu,morreu por nós"(como diz a musica espelho magicos do Oficina G3),isso para mim é o sentido da vida.
Um abraço.