Total de visualizações de página

sábado, 6 de março de 2010

Camuflagem Animal



Quantos animais você conhece? Será que você consegue identificar ou até mesmo perceber os animais que estão nessas fotos?


Faz tempo que não escrevo nada sobre ciência. Na verdade, penso que meus leitores podem ficar cansados de ler sobre esse assunto. Como sou professor, acho que abordo esses temas de modo muito professoral. De qualquer maneira, essa semana preparei uma aula sobre Camuflagem Animal e fiquei empolgadíssimo com o resultado. Para quem dá aulas, o resultado imediato é ver os olhos dos alunos brilharem a cada foto e filme que eu mostrei.

Por um lado foi difícil conduzir a aula, pois como o assunto é muito interessante, eu quase não conseguia terminar uma frase, de tantas que foram as intervenções dos alunos. Esperar um terminar de falar para outro começar a falar não existe para os alunos e é difícil mantê-los atentos. Mas o resultado foi muito bom.

Quando falamos em camuflagem animal, estamos tratando de uma estratégia espetacular para sobrevivência. Essa adaptação permite que os animais possam se “esconder” em seu ambiente. Isso é muito importante, pois evita que o animal seja predado com facilidade e evita também que sua presa o perceba. Destaco dois tipos de camuflagem. Uma delas é que o corpo do animal está adaptado a se parecer com o ambiente, como é o caso de alguns bichos-folha verde e marrom, dos sapos-folha e sapos-pedra e do dragão do mar. Todos esses podem ser vistos nas fotos.



Outro tipo de camuflagem é aquela que o animal escolhe que cor quer ficar no corpo. É o caso de camaleões e polvos que tem a capacidade de alterar a cor de sua epiderme, através dos cromatófaros – células especializadas na produção de melanina. Dependendo da situação – ataque ou camuflagem – o animal altera a sua cor. Esse fato desmistifica a idéia popular de que os animais não enxergam as cores. Ora, o polvo só se camufla com as cores dos corais porque é capaz de ver essas cores, interpretá-las e rearranjar suas células epidérmicas. Não sei qual será sua impressão, mas eu fico maravilhado com essa demonstração de beleza.




Um comentário:

Cláudia Moura disse...

Marcos, meu irmão querido,

Não sei se porque estou acostumada...mas fiquei ávida esperando por uma ligação do assunto com o cristianismo atual, ou chamados cristãos/protestamtes/evangélicos, etc, etc.(classificações de um dos seus textos)no final desta explanação.
Confesso que não me canso dos seus assuntos de professor - rs, mas achei que teria alguma co-relação mais pro final...e nada...rs
Fique com Deus e continue orando por mim e pelo Gui, tá? Conto sempre com vc e os seus neste sentido, algumas vezes mais que outras, agora é uma delas...
Paz