Total de visualizações de página

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

A triste situação da igreja evangélica do Brasil

Ecclesia reformata et semper reformanda est (A igreja reformada está sempre se reformando).

Esse foi o escopo da Reforma Protestante no século 16. Naquela época, iniciada por Martinho Lutero, a Igreja estava vivendo dias de profunda mentira e afastamento da Palavra de Deus. Os líderes e, consequentemente, o povo tinha se afastado dos ensinos da Palavra de Deus. Havia erros e desvios em todas as áreas da igreja - liderança, teologia, liturgia, práticas devocionais - tudo estava contaminado, apodrecido, fétido, nauseante (não quero continuar nesses adjetivos). Deus, Sua Palavra, as práticas devocionais, um culto racional e vibrante, a pregação do genuíno evangelho... enfim, tudo estava comprometido.

Até que um certo dia, alguém resolve se posicionar contra o statu quo. Alguém resolveu que não ficaria mais calado. Alguém resolveu falar a verdade, falar a Verdade e, consciente ou não, acabou expondo os erros às vistas de todos. Não há como negar isso. Quando a Verdade e a verdade são expostas, os erros vem à tona, são expostos, as feridas se escancaram, o lixo purulento extravasa e só assim se consegue tratamento para a doença.

Como gostaria de estar errado, mas acho que a igreja brasileira está em situações parecidas àquelas da época da Reforma. Mais e mais se multiplicam espoliadores da fé das pessoas, mais e mais líderes falsos e mentirosos se espalham pelos púlpitos, pelos programas de TV e de rádio, mais e mais montanhas de lixo tem sido publicado pelas editoras evangélicas, mais e mais toda sorte de esterco tem sido gravado e cantado nas nossas igrejas. EU NÃO SUPORTO MAIS!!!!

E então fico me perguntando: quem será nosso “Lutero” do século 21? Quem serão nossos “Calvino” e “Huss”? Quem será o nosso “Wycliffe”? Será que serei eu? Será que é você que está lendo isso agora? Será que seremos nós? Quem de nós vai pôr o dedo na ferida, expô-la e tratar dela? Quem será?

Por que não marchamos por ética na política? Por que não marchamos contra os políticos desonestos que roubam o dinheiro do povo e depois oram como se fossem santos servos de Deus comprometidos com Ele? Quem vai marchar contra a venda de milagres na TV e no rádio? Quem tem coragem de marchar contra os pastores desonestos que mentem descaradamente? Quem vai marchar contra as heresias que se pregam hoje nos nossos púlpitos? Quem vai marchar para termos um igreja mais ética, limpa e íntegra?

Onde está a igreja que não influencia mais o mundo? Onde está a igreja que se esconde debaixo da mesa? Será que nosso silêncio é por causa da “ética pastoral” de não citar nomes? Só para lembrar, o apóstolo Paulo citou nominalmente pessoas que o atrapalhavam e prestavam um desserviço para o evangelho. Onde está a igreja que se esconde para a miséria espiritual do povo brasileiro? Líderes evangélicos que flertam com a política, depois de algum tempo, aparecem envolvidos em escândalos, roubalheiras, suspeitas de crimes e falcatruas. Todos eles começam com o discurso santo, que vão ser éticos e honestos.... mas como vão agir com honestidade e santidade se eles mesmos se colocam na “vitrine do pecado”, “andando na roda dos escarnecedores”? (Salmo 1:1)

Se a igreja evangélica brasileira não for limpa agora por nós que fazemos parte dela, quando o Agricultor vier separar o joio do trigo, não haverá chance para ninguém. Quando machado for colocado na raiz das árvores infutíferas, ai daqueles que serão cortados. Se nós formos limpar agora, poderemos ver os ramos darem seus frutos, pois não temos o poder de mandar o joio para o fogo agora. Se a igreja está sempre se reformando, estão faltando pás, tintas, cimentos, argamassas para essa reforma.

5 comentários:

Pr. Sergio Menga disse...

Compartilho do mesmo sentimento que você manifestou neste desabafo. Estou "enojando" de tudo isso que está por ai.
Mas, me sinto em falta com a justiça, no momento que quero jogar tudo no mesmo saco.
Explico: Primeiro, a igreja citada logo no início, alvo da reforma, não é a minha igreja. Aquela é a igreja romana.
Segundo, as igrejas e "crentes" citados, dos dias de hoje, TAMBÉM, não é a minha igreja. Esta, é a igreja mundana!
A Igreja que eu pertenço, é a gloriosa Igreja de Cristo, a Noiva que está sendo adornada para receber o Noivo.
E, portanto, meus irmãos, são todos os que pertencem à esta Igreja.

E tenho dito.

Música, Ciência e Teologia disse...

Vejo dois problemas nisso tudo.

Primeiro, a Igreja a qual você diz fazer parte (e eu também) está misturada com a igreja mundana ainda. O joio cresce junto com o trigo ainda.

Segundo, a Igreja a qual fazemos parte, está escondida, acuada, apática... risco a dizer até mesmo, amedrontada. É contra isso que luto.

Marcos.

Pastor Menga disse...

Amado Marcos, Graça e Paz.
Não querendo fazer aqui um amplo debate, não é o caso, mas não posso concordar com você no segundo ponto. Ali você diz que "a igreja escondida - de Cristo - está apática... amendrontada, etc."

Olha, enquanto estamos aqui falando dos nossos problemas verde e amarelo, a Igreja de Cristo, que é invisível, está completamente ativa pelo mundo, e por que não dizer, também no Brasil, lá pelo norte e nordeste.

Alguns dados: A igreja que mais cresce no mundo, é a igreja na China, fruto de grande perseguição.

Na África, nunca se viu tanto crescimento e conversão como nestes últimos anos. As igrejas que começam pequenas lá, começam com 350 pessoas. As médias, são igrejas de 1.000 pra mais.

A quantidade de igrejas se formando na Palestina tem sido muito grande, e muitas formadas de palestinos e judeus. (Dados de Portas Abertas)

Logos seremos campo missionário novamente, assim como está sendo na Europa.

Jorge Fernandes Isah disse...

Marcos,

metendo o bedelho onde não sou chamado, concordo com os comentários do pr. Menga.

Não podemos considerar a Igreja do Senhor, a Noiva, o Corpo de Cristo, como parte de todo esse processo imoral e anticristão do qual a igreja "nominal" tem participado, se não diretamente, ao mesmos enquanto abandona a fé bíblica e o testemunho cristão em favor do secularismo.

Colocar todos no mesmo barco implicará em dizer que estamos todos afundando inapelavelmente. E a Escritura é clara em afirmar que a igreja do Senhor é amada por Ele, e por Ele será apresentada santa, irrepreensível, imaculada naquele glorioso dia.

Na verdade, essa é a campanha de satanás juntamente com seus servos (sejam políticos, empresários, pastores, médicos, motoristas de ônibus, garçons, etc) para difamar a verdadeira igreja, utilizando-se da falsa para levar escândalos ao mundo.

Não se engane, esses políticos e burocratas corruptos que agradecem a Deus enquanto embolsam suas propinas, são o jóio em meio ao trigo, e por isso estão visíveis, para que a Igreja fique em alerta, e não seja confundida.

Quanto às perseguições, historicamente elas funcionam como uma mola propulsora para a propagação do Evangelho. Parece-me bíblico que o sofrimento, a dor e as tribulações, fortalecem a fé e o testemunho cristão.

Nos países comunistas e islâmicos, onde, a despeito de toda a perseguição, torturas, prisões e morte, a igreja vem crescendo em níveis inimaginados no mundo ocidental.

Por aqui, a fé tem sido substituída pela descrença, pelo oportunismo, pela malversação da palavra. Mas o que não podemos esquecer é que Deus sustentará o Seu povo, e o fará proclamar o Seu nome, seja com a nossa vida, seja com a nossa morte.

Forte abraço.

Cristo o abençoe!

lele disse...

As igrejas da Asia,quase todas tinham virtudes;Porem Deus não deixou de apontar onde erravam lembram-se:tenho porem contra ti que....Portanto a igreja muitas vezes comete erros e aqui no caso, oerro de omissão.