Total de visualizações de página

domingo, 29 de março de 2009

A pedagogia da aflição

“Foi-me bom ter eu passado pela aflição, para que aprendesse os teus decretos.”
Salmo 119:71

Quem gosta de se sentir aflito? Quem gosta de ficar abatido? Você gosta de sofrer? Ninguém gosta disso. Mas se eu perguntasse se alguém gosta de aprender, ou se alguém quer ter uma vida melhor, certamente muitos responderiam que sim. As pessoas trabalham para pagar as suas contas (que são quase intermináveis), mas também para terem uma vida melhor, mais conforto, períodos de lazer. O salmista que escreveu essas palavras reconheceu que seu sofrimento produziu algum benefício na sua vida. Que tipo de benefício você busca para sua vida?

É muito interessante percebermos que os valores do reino de Deus são bem diferentes dos nossos valores. No reino em que Deus reina os valores são de acordo com o que Ele estabeleceu. Só para efeito de comparação, considere o ouro. Para nós ele vale muito, muito dinheiro. Com alguns quilos de ouro, poderíamos resolver muitos dos nossos problemas financeiros. Mas para Deus o ouro é como asfalto. As ruas na nossa morada do céu são de ouro!

O salmista percebeu que o período de aflição o levou a conhecer os decretos de Deus. Entretanto, ele vai além. O salmista enxerga uma relação de causa e consequência, pois ele afirma que a aflição serviu para que ele aprendesse os decretos de Deus. O período de aflição foi útil para que ele aprendesse algo mais elevado. Como afirmei no início, ninguém aprecia ficar em momentos de aflição. Mas o resultado desse período foi o aprendizado de algo que, talvez, ele não tivesse consciência antes.

Você tem consciência que os decretos de Deus são essenciais para nós? Será que sabemos que os decretos de Deus são o que de melhor o Senhor nos tem reservado? Será que conhecemos os decretos de Deus? Uma coisa não podemos perder dos nossos corações: os decretos de Deus são irrevogáveis. E Deus decidiu nos amar, nos perdoar, nos resgatar e nos salvar.

3 comentários:

Rev. Ageu Magalhães disse...

Caro Marcos, muito feliz seu post. Em tempos de mentiras (teologia da prosperidade) estas verdades bíblicas preciosas precisam ser resgatadas. Abraço, Ageu

Maílin disse...

Muito bom mesmo o seu comentário... Ssaudades de você cara!!! Dá um jeito de aparecer no Raízes.. Estamos precisando de bateristas e que tenham "tino" pra escrever e bem!!! Abraços tecladísticos!!!

Marcos Elias

Leonardo disse...

E ai Marcão,blz?
Engraçado eu ler este seu texto agora,nesse momento estou passando por coisas bem dificeis na minha vida,algo que é normal,ja que uma das certezas que eu tenho em minha vida com Cristo é que o periodo de sofrimento sempre será grande e intenso,mas Ele sempre estará ao meu lado.E é isso que cai no meu coração sobre esse texto
Um abraço, Saudades e obrigado.